Mulher do presidente do TRF2 recebeu R$ 12 milhões da Fecomércio

A operação Jabuti, que levou à prisão do presidente da Fecomércio, Orlando Diniz, fez a Lava-Jato do Rio atingir um novo patamar: desta vez, ela se aproxima do Judiciário.
A documentação levantada pelo Ministério Público Federal mostra o pagamento de honorários milionários a escritórios de advocacia do Rio.
Entre eles está o Basílio Advogados. A banca pertence à Ana Basílio, que é casada com com o desembargador André Fontes, presidente do Tribunal Regional Federal da 2ª Região. O órgão é responsável pelos recursos da própria Lava-Jato do Rio.
Segundo a denúncia, o escritório recebeu R$ 12 milhões para atuar em ações no Tribunal de Justiça do Rio, no STJ e na Justiça Federal.

(Atualização: O MPF afirma que “Não há qualquer elemento indicativo de envolvimento de membros do Poder Judiciário nas investigações até aqui realizadas. Ademais, como se sabe, os membros do Poder Judiciário gozam de foro por prerrogativa de função, não podendo ser investigados na primeira instância”. Diz ainda que “o desembargador federal André Fontes, no exercício da Presidência do TRF2, vem apoiando administrativamente, de maneira significativa, os trabalhos desenvolvidos no âmbito da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro“.)

(Atualização 2: Diante das notícias veiculadas na mídia impressa e eletrônica, que mencionam integrantes do Escritório Basílio, Di Marino e Faria Advogados, prestamos os seguintes esclarecimentos:
A FECOMERCIO, entidade privada, contratou, no âmbito de complexo contencioso com a CNS, o Escritório para integrar o grupo de escritórios que já atuavam na defesa de seus interesses, em fevereiro de 2014. Desde então, estamos atuando em 48 casos relevantes, considerando processos originários no Tribunal de Justiça no Rio de Janeiro e a elaboração de recursos perante o Superior Tribunal de Justiça.
O requerimento formulado pela Força Tarefa da Operação Lava-Jato no Rio de Janeiro, bem como a decisão proferida pela Justiça Federal, que culminaram na prisão do Presidente da FECOMERCIO, não dirigem e nem cogitam qualquer acusação contra o Escritório Basílio ou seus integrantes. Apenas relatam o fato de que o Escritório foi contratado, em conjunto com outros, para a defesa dos interesses da FECOMERCIO.
A propósito, sobre as notícias divulgadas na data de hoje e que mencionaram relação pessoal entre integrante do Escritório e magistrado federal, destaque-se a nota de esclarecimento emitida pela própria Força Tarefa da Operação Lava-Jato no Rio de Janeiro:
A Força Tarefa da Operação Lava-Jato no Rio de Janeiro vem esclarecer, diante de recente matéria veiculada no Radar Veja sob o título “Mulher do presidente do TRF2 recebeu R$ 12 milhões da Fecomércio”, que não está investigando membros do Poder Judiciário.
Não há qualquer elemento indicativo de envolvimento de membros do Poder Judiciário nas investigações até aqui realizadas. Ademais, como se sabe, os membros do Poder Judiciário gozam de foro por prerrogativa de função, não podendo ser investigados na primeira instância.
A elaboração de matéria jornalística relatando fatos fora de contexto para tirar conclusões equivocadas relacionadas ao Presidente do Tribunal Regional Federal da 2ª Região é especulativa, não tendo qualquer fundamento na realidade dos fatos.
O Desembargador Federal André Fontes, no exercício da Presidência do TRF2, vem apoiando administrativamente, de maneira significativa, os trabalhos desenvolvidos no âmbito da Operação Lava-Jato no Rio de Janeiro.)

FONTE:
https://veja.abril.com.br/blog/radar/mulher-do-presidente-do-trf2-recebeu-r-12-milhoes-da-fecomercio/

Anúncios

TRF- 4 reduz pena de Eduardo Cunha

DAs1EdxWAAEkzRJ.jpg

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região, a segunda instância dos processos da Operação Lava Jato que correm na Justiça Federal do Paraná, manteve a condenação do ex-presidente da Câmara e deputado federal cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), mas reduziu a pena do parlamentar, preso desde outubro do ano passado. Em março deste ano, o juiz Sérgio Moro condenou o peemedebista a 15 anos e quatro meses de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro, corrupção passiva e evasão de divisas. O tribunal manteve a condenação pelos crimes, e reduziu a pena de Cunha para 14 anos e seis meses.

Os desembargadores também decidiram pelo cumprimento imediato da pena após julgamento de eventuais recursos ainda na segunda instância, como os embargos de declaração, em que a defesa pede esclarecimentos sobre o acórdão.

Segundo Moro, em 2011, o ex-parlamentar recebeu cerca de US$ 1,5 milhão por um esquema de corrupção envolvendo contrato de exploração de petróleo em Benin, na África. Os desvios geraram um prejuízo de US$ 77,5 milhões à Petrobras, de acordo com a empresa. Para receber o dinheiro, o político utilizou duas contas secretas no exterior. A Justiça informou que ocultação e a dissimulação aconteceram entre 2011 e 2014.

Ao mandar prender Cunha, Moro disse que ele poderia manter suficiente para obstruir investigações e intimidar potenciais testemunhas.

Em manifestações anteriores ao TRF, a defesa do ex-deputado negou o crime de lavagem de dinheiro.

FONTE:

https://www.brasil247.com/pt/247/parana247/328321/Eduardo-Cunha-tem-pena-reduzida-na-Lava-Jato.htm

Juízes emitem nota afirmando:” quem critica auxilio-moradia é a favor da corrupção “

ASSOCIAÇÃO DE JUÍZES EMITE NOTA SURREAL AFIRMANDO QUE QUEM É CONTRA O AUXÍLIO MORADIA É A FAVOR DA CORRUPÇÃO: No estilo “Judiciário, ame-o ou deixe-o”.

A inacreditável nota do Juiz Federal, Fabrício Fernandes de Castro, presidente de AJUFERJES é o exemplo da sociedade de castas que se estabeleceu no Brasil. Com salários que podem ultrapassar os R$ 100 mil, a nota que defende Marcelo Bretas na defesa do “direito” de receber suas mordomias somadas com a sua esposa, em auxílio moradia que ultrapassar R$ 10 mil, cada um, é uma aberração. As afirmações contidas na argumentação do juiz são  surreais, principalmente quando fala de um estado falido, em termos de serviços sociais, filas em hospitais e outros problemas. E por que é surreal? Justamente, por que frente aos salários ridículos da saúde e da educação, além do déficit de profissionais, apenas a renda de um juiz poderia bancar 40 professores ou enfermeiros com os ganhos miseráveis atuais. Portanto, cada juiz custa uma escola de ensino médio por mês e a renda do juiz não é solução, menos ainda o auxílio moradia, é sim a raiz do problema. A renda de um juiz brasileiro é uma das mais altas do mundo, tornando a justiça “tupiniquim” a mais cara e ineficiente do planeta. O golpe que estamos vivendo, advém diretamente desses altos salários, que criou o distanciamento dessas pessoas, da realidade e da miséria que cerca e que é a nossa sociedade. Afinal, vale lembrar que o último recurso do Impeachment de Dilma Rousseff nem foi julgado no STF, que é ocupado por deuses e não juízes. Para piorar, afirmou categoricamente que quem é contra seus privilégios, é a favor da corrupção, no melhor estilo, somos todos juízes honestíssimos. A conclusão da nota, deveria ser “Judiciário, ame-o ou deixe-o”. Inimputaveis, não tem o respeito de ninguém, mas o medo e o temor de uma estupidez qualquer. Um juiz, pode fazer tudo contra uma pessoa, matar indiretamente uma ex-primeira-dama, destruir uma família, destruir irreversivelmente uma vida e sentenciar uma pessoa à prisão por tempo indeterminado. Juiz, não é respeitado, é temido. Juiz, portanto, é deus e eles sabem disso, veja abaixo a nota que uma entidade do “sagrado” enviou aos mortais:

FONTE:

https://www.apostagem.com.br/2018/01/30/associacao-de-juizes-emite-nota-surreal-afirmando-que-quem-e-contra-o-auxilio-moradia-e-favor-da-corrupcao-no-estilo-judiciario-ame-o-ou-deixe-o/

Juízes federais convocam o povo para greve contra o fim do auxílio-moradia

Imagem1.jpg

São Paulo – Cerca de 100 juízes federais estão se mobilizando para convocar uma greve nacional, segundo a coluna Painel do jornal Folha de S.Paulo.
Eles estão insatisfeitos com a decisão da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, de marcar o julgamento de uma ação sobre o pagamento de auxílio-moradia a juízes federais para o dia 22 de março.
Segundo os magistrados, a iniciativa é seletiva, já que ela não pôs em pauta uma outra ação que também questiona o benefício dos juízes estaduais.
O jornal ainda lembra que a última greve da magistratura ocorreu em 1999, quando os juízes reivindicavam reajustes salariais.
O teto salarial do funcionalismo público no país é determinado justamente pelo maior salário do Judiciário (dos ministros do STF), de cerca de 33 mil reais.
Os benefícios pagos aos juízes, como o auxílio-moradia, não entram no cálculo e podem fazer com que, na prática, alguns profissionais ganhem mais que o teto, mas ainda obedecendo à lei. Atualmente, o auxílio-moradia é de 4,3 mil reais.
A decisão sobre o pagamento do benefício tinha sido tomada em caráter liminar pelo ministro Luiz Fux, do Supremo. Agora, ele liberou a liminar para ser votada em plenário por todo o STF, o que dará caráter definitivo à decisão.

FONTE:
https://falandoverdades.com.br/juizes-federais-convocam-paralisacao-se-stf-votar-o-fim-do-auxilio-moradia/
http://painel.blogfolha.uol.com.br/2018/02/22/com-auxilio-na-mira-do-stf-juizes-federais-ameacam-entrar-em-greve/

 

Banqueiros patrocinam outra homenagem à Moro em Nova York

Image 1.jpg

Pires na mão Só apareceram até agora sete patrocinadores para as mesas principais do jantar em que a Brazilian-American Chamber of Commerce homenageará o juiz Sergio Moro e o ex-prefeito de Nova York Michael Bloomberg como personalidades do ano, em maio. Entre os confirmados estão Bradesco, Itaú BBA e Santander.   No camarote No ano passado, quando o prefeito João Doria (PSDB) e o ex-embaixador americano Thomas Shannon foram escolhidos, as mesas principais atraíram 15 patrocinadores. Cada uma com dez lugares, elas garantem acesso privilegiado aos homenageados na festa e custam US$ 26 mil.

FONTE:

http://painel.blogfolha.uol.com.br/2018/02/14/bancos-patrocinam-jantar-em-que-moro-recebera-homenagem-em-nova-york/

Moro e Bretas receberam mais de meio milhão em auxílio-moradia

Resultado de imagem para moro e bretas

Juízes da Lava Jato receberam R$ 516.582 mil desde 2014, mesmo tendo imóveis luxuosos próprios

A Folha de S.Paulo revelou hoje que o juiz Sérgio Moro, principal responsável pela operação Lava Jato, recebe, desde 2014, o auxílio-moradia no valor de R$ 4.378, mesmo tendo imóvel próprio, localizado a 3 Km do local onde trabalha, em Curitiba.

Moro não é o primeiro juiz da maior operação anticorrupção do Brasil a ser alvo de polêmicas envolvendo o auxílio-moradia. Marcelo Bretas, responsável pelos julgamentos realizados no Rio de Janeiro, foi severamente criticado por receber o valor do benefíco, (um pouco menor) R$ 4.377,73, mesmo tendo residência própria. O caso do carioca chama mais atenção, pois sua esposa, também juíza, recebe, desde 2015, o mesmo auxílio, apesar de morar na mesma casa do marido, ou seja, eles recebem o valor duplicado.

Ao se defenderem sobre os casos, Moro e Bretas usaram a mesma justificativa para continuarem recebendo o benefício: o auxílio seria para compensar a falta de reajuste no salário nos últimos 3 anos.

Somando os valores recebidos pelos dois magistrados, desde 2014, temos a quantia de R$ 358.984, sendo 179.498 pelos 41 meses de beneficio de Moro e R$ 179.486 pelo mesmo período de Bretas. Se computarmos, ainda, o valor duplicado recebido pelo juiz do Rio com sua esposa, este total salta para R$ 516.582, mais de meio milhão de reais.

FONTE:

https://noticias.r7.com/prisma/coluna-do-fraga/moro-e-bretas-ja-receberam-meio-milhao-em-auxilio-moradia-02022018

https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/02/moro-tem-imovel-em-curitiba-mas-recebe-auxilio-moradia.shtml

Moro absolve mulheres de Cunha e Cabral por falta de provas

eduardo-cunha-e-claudia-cordeiro.jpg

Ao absolver a ex-primeira-dama do Rio Adriana Ancelmo dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, o juiz federal Sérgio Moro alegou não haver ‘prova suficiente de autoria ou participação’ da mulher do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (PMDB-RJ). O peemedebista, acusado de propina de R$ 2,7 milhões nas obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), da Petrobrás, pegou 14 anos e 2 meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro.

Adriana Ancelmo é a segunda mulher de um político envolvido em crimes investigados pela Operação Lava Jato a ser absolvida por Moro. Em maio, o magistrado livrou Cláudia Cruz, mulher do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) dos crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

A jornalista Cláudia Cruz, esposa do deputado cassado e ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, foi absolvida hoje (25) pelo juiz Sérgio Moro da acusação da prática dos crimes de lavagem de dinheiro e de evasão de divisas no processo que investiga o pagamento de propina oriunda do superfaturamento do contrato entre a Petrobras e a Compagnie Beninoise des Hydrocarbures Sarl para exploração de petróleo no Campo de Benin, na África.

Para Moro, responsável pelos inquéritos da Operação Lava Jato na primeira instância, embora Cláudia Cruz tenha tido comportamento “altamente reprovável” e “negligente” quanto às fontes de rendimento do marido e quanto aos gastos pessoais dela e da família, não há provas de que ela tenha efetivamente praticado os crimes imputados a ela pelo Ministério Público Federal.

FONTE:

http://www.siempre.net.br/depois-de-claudia-cruz-moro-absolve-tambem-mulher-de-cabral/

https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2017/06/13/assim-como-com-mulher-de-cunha-moro-reprova-gastos-de-adriana-ancelmo-e-nao-ve-lavagem.htm

http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/por-que-moro-absolveu-adriana-ancelmo/

https://www.brasil247.com/pt/247/rio247/301137/Moro-absolve-mulher-de-Cabral-e-n%C3%A3o-v%C3%AA-lavagem-de-dinheiro-em-gastos.htm

http://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2017-05/lava-jato-sergio-moro-absolve-esposa-de-eduardo-cunha-por-falta-de-provas