Imagens

Mulher quebra a perna nos EUA e implora pra não chamar a ambulância

6.jpg

VEJA O VÍDEO PELO YOUTUBE :

VEJA O VÍDEO PELO FACEBOOK:

Anúncios

Prefeita que apoiou “ForaDilma” é filmada recebendo 100 mil de propina

Imagem1.jpg

A prefeita Luciane Bezerra (PSB) de Juara (MT) foi filmada recebendo uma bolada em propina como parte de um grande esquema denunciado na Operação Sodoma; o marido dela, deputado Oscar Bezerra, foi favorável ao impeachment; na época, ele declarou: “Esse é o momento de todos os representantes da população e sociedade em geral se posicionarem sobre os desmandos cometidos pelo governo federal, para que todos os fatos venham à luz, e o Brasil consiga se recuperar desta crise política que possui reflexos diretos em nossa economia”
Gravações entregues pelo ex-governador do Mato Grosso, Silval Barbosa (PMDB), ao Ministério Público, em delação premiada, mostram políticos do estado recebendo bolos de dinheiro, como parte de um grande esquema denunciado na Operação Sodoma.

A prefeita de Juara, Luciane Bezerra (PSB), aparece colocando uma bolada na bolsa.

O marido dela, deputado Oscar Bezerra, foi favorável ao impeachment. Na época, ele declarou: “Esse é o momento de todos os representantes da população e sociedade em geral se posicionarem sobre os desmandos cometidos pelo governo federal, para que todos os fatos venham à luz, e o Brasil consiga se recuperar desta crise política que possui reflexos diretos em nossa economia”.

Veja o Video:

Fonte:
https://www.brasil247.com/pt/247/brasil/314335/Mulher-de-deputado-que-apoiou-impeachment-%C3%A9-filmada-recebendo-dinheiro-de-propina.htm

Bolsonaro é vaiado por multidão ao defender o agronegócio em Barretos

x.jpg

Em tom de campanha, deputado federal defendeu o agronegócio brasileiro

Em discurso na Arena da Festa do Peão de Barretos 2017 na noite deste sábado (27), o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) recebeu vaias e aplausos do público que lotou o recinto.
O parlamentar chegou a Barretos na tarde deste sábado (26), onde participou da tradicional Queima do Alho, concurso de culinária caipira. No evento, discursou em defesa do produtor rural e fez críticas ao Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST). À tarde, Bolsonaro ainda esteve no Hospital de Câncer de Barretos para conhecer as instalações da instituição que realiza 4 mil atendimentos diários.
Por volta das 23h, o deputado retornou ao Parque do Peão e foi convidado pelos organizadores da festa a subir ao palco antes da abertura dos shows de famosos sertanejos na Arena. Recebido com vaias e aplausos, ele falou mais uma vez sobre o agronegócio brasileiro e disse que é um soldado do homem do campo.
“Minha continência ao homem do campo. A vocês com muita atenção, obrigado Cuiabano pelas palavras gentis, falando ao homem da família brasileira, falando ao povo de Deus. Mais do que uma festa, uma tradição, que deve ser comemorada por todo o Brasil. Ao homem do campo, homem do agronegócio, contem conosco. Nós somos os seus soldados. Juntos nós chegaremos lá. Juntos nós mudaremos o Brasil”, declarou em tom de campanha.

Fonte:
http://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/festa-do-peao-de-barretos/2017/noticia/bolsonaro-e-alvo-de-vaias-e-aplausos-na-arena-da-festa-do-peao-de-barretos.ghtml
https://www.vista-se.com.br/vestido-de-cauboi-jair-bolsonaro-declara-lealdade-ao-agronegocio-e-aos-rodeios-em-barretos/

TJM reduz investigação da Polícia Civil sobre mortes praticadas por PMs

Imagem1.jpg

Resolução do TJM determina que objetos de cena de crime sejam apreendidos pelos militares; ‘portaria legaliza adulteração do crime’, diz especialista.

Uma resolução criada pelo Tribunal de Justiça Militar de São Paulo (TJM-SP) possibilita que policiais militares apreendam todos os objetos que tenham relação com a apuração de homicídios praticado por PMs. A medida é criticada por policiais civis.
O delegado-geral da Polícia Civil de São Paulo, Youssef Abou Chahin, enviou ofício à Secretaria da Segurança Pública para pedir a revogação da resolução. O Sindicato dos Delegados também acionou o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para pedir a suspensão da medida.
Na prática, a decisão reduz o poder de investigação da Polícia Civil sobre os casos de letalidade policial que bateram recorde no 1º semestre, como antecipado pelo G1. Policiais militares mataram 430 pessoas de janeiro a junho deste ano. Até então, toda apuração era conduzida pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da corporação.
A resolução publicada em 18 de agosto pelo presidente do TJM, Silvio Hiroshi, prevê que “a autoridade policial militar […] deverá apreender os instrumentos e todos os objetos que tenham relação com a apuração dos crimes militares definidos em lei, quando dolosos contra a vida de civil”.
O TJM diz que, entre outros fatores, considerou as “dúvidas que têm surgido sobre o correto proceder em relação à apreensão de instrumentos ou objetos” para chegar à decisão. Segundo a corte, a medida evita que essas dúvidas resultem no “desatendimento do princípio constitucional da celeridade”.
Para a Polícia Civil, “a resolução afronta o texto constitucional e os dos códigos de processo penal vigentes”. “O artigo 6º do Código de Processo Penal comete tais atribuições à Autoridade Policial que, todos sabemos, é o Delegado de Polícia. Trata-se, inquestionavelmente, de investigação policial civil e não militar”, justificou.
De acordo com o delegado Youssef, “a Polícia Civil não se omitirá em cumprir sua missão constitucional e, portanto, não irá deixar de instaurar inquérito policial todas as vezes que receber notícia de crime doloso contra a vida praticado por militar contra civil, em tempo de paz”. Segundo ele, “não há como dar razão à medida” e a revogação evitaria “embates estéreis entre as duas polícias”.
Para o professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e integrante do Fórum Brasileiro de Segurança Pública Rafael Alcadipani, “a PM já não preserva as cenas de crime como deveria, e esta portaria legaliza e incentiva a adulteração das cenas de crime”.
“É uma tentativa da PM de ganhar poder e também de ajudar os policiais que cometem crime, pois estudos mostram que as corregedorias de polícia são lenientes com a violência policial. A Justiça Militar é extremamente leniente”, avalia o especialista.
A Secretaria da Segurança Pública disse que vai analisar o documento e a Justiça Militar não se pronunciou.

Resultado de imagem para policia militar ASSASSINA

Caso levantou debate sobre despreparo da PM | André Porto André Porto / Metro Jornal

Grafite na rua pede justiça | André Porto André Porto / Metro Jornal

Fonte:
http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/justica-militar-reduz-investigacao-da-policia-civil-em-homicidios-de-pms-delegado-geral-pede-revogacao.ghtml
http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/numero-de-pessoas-mortas-pela-policia-no-semestre-e-o-maior-em-14-anos-mortes-em-folga-sao-recorde.ghtml

https://www.metrojornal.com.br/foco/2017/07/14/caso-de-carroceiro-morto-por-pm-levanta-debate-sobre-despreparo-policial-em-sao-paulo.html